sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Poema de uma amiga especial

Fuga
Pinto sem noção
De ponto de fuga,
Mas tenho certeza
Que quero fugir.
Não enteressa
A linha do horizonte,
È além dela
Que quero ir.
Não importa
O ponto de vista,
Quero ultrapassar
 A visão ocular.
Nas linhas de fuga viajo,
Na perspectiva de voar.

( Adryana  Gonzaga)

Um comentário:

Páginas